segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Na chacara


Era férias do meio do ano da oitava serie meu pai e um amigo marcaram um final de semana na chácara do amigo dele, como as nas férias de meio de ano, eu não ia para casa da minha mãe, tive que ir junto, meu irmão Thiago foi que não gostou, então ele perguntou se poderia leva mais pessoas, e assim fez, levou a namorada e mais dois amigos, e eu tive que ir no carro com eles, e aqui começa a historia, quando foi sete e meia da manha de um sábado, o amigo dele parou o carro lá na frente, aquele amigo eu não conhecia, se chamava Paulo, era magro, mas forte, e tinha uma tatuagem no braço, então eu e o Thiago colocamos nossas bolsas no carro e fomos, no caminho paramos na casa da namorada do Thiago, e ela já estava só esperando, deu um beijo na boca dele, e entrou no carro, ate na casa do outro amigo eu e ela fomos conversando bastante, mas quando o carro parou, e o outro amigo dele saiu de dentro da casa, eu gelei, era Samuel, e eu tinha chupado a pica dele há dois meses atrás, numa festa de aniversario na empresa do papai, o pai dele e o meu trabalhavam juntos, e daí vinha a amizade de Samuel e Thiago, ele entrou no carro, e falou normal com todo mundo, e fomos conversando e rindo, Thiago não jogava nenhuma piada pra mim por causa da namorada que tava ali, se não, já tinha feito, então no caminho eles pararam para compra cerveja, eu falei que iria compra chocolate e balas, e peguei o corredor para isso, não era nem oito minutos depois, estava meio que deitado por cima da freezer de picolé, escolhendo um quando alguém me encoxou por trás, e eu reclamei, era Samuel, que falou – já que chupa? – mandei ele cala a boca, ele falou que era pra mim cuida, que já estaríamos saindo, então enquanto voltava pra lá, coloquei o picolé na boca, e ele sorriu, perguntei qual era a piada, e ele falou – gosta de chupa né? Mandei ele ir se lasca de novo, e antes da gente chega no caixa e ele falou – da ultima vez chupou minha pica melhor que esse picole. Então assim chegamos ao caixa, paguei o picolé, e os chocolates que estava na minha mão, e assim seguimos viagem, chegamos na chácara nove e quarenta, e já meu pai e os outros já estavam lá, eu tinha dado sorte, consegue um quarto só para mim, foi um alivio aquilo, quando sair do quarto, bate de frente com um garoto branco, de cabelos loiros e olhos verdes, bem fortinho, e eu olhei ele da cabeça aos pés, ele falou oi, e saiu, e eu fiquei observando ele, então nessa hora Samuel veio por trás de mim e falou – para de ser assanhado que vai ser a minha que vai chupa – eu mandei ele se lasca, mas nessa hora ele me puxou, e me escorou na parede, e encostou a pica na minha bunda, e claro que ambos estavam vestidos, e ele falou – espero que sua bunda saiba agrada uma pica tanto quanto sua boca – então ele me largou e saiu sorrindo, e eu mandei ele se fude, e ele falou – mais tarde, em você! O resto do dia foi normal, o garoto loiro ficamos amigos, ele nem desconfiou que estava doido pra chupa a pica dele, e Samuel não jogou mais nenhuma piada, apesar deu sempre olha pra ele, então num momento na cozinho, enquanto eu bebia água, meu irmão Thiago entrou e falou – ei não tenho nada contra você e sua boiolisse, mas para de fica olhando para o Samuel, que o cara gosta de mulher, e não curte viado não – ele saiu e eu pensei – você não conhece seus amigos Thiago. Quando já era quase uma hora, estávamos eu e uns meninos na sala, quando olhei pela janela, Samuel estava entrando para no banheiro, e quando saiu ele viu que eu estava olhando, ele olhou para os lados, e olhou pra mim e fez sinal com a pica pra mim. entao depois disso foi tudo normal, joguei Nintendo com os meninos da casa, e depois do almoço todo mundo foi toma banho no guarapé, então da nada, Samuel passou mau e a dona da casa junto com Paulo e Thiago o levaram para dentro da casa, deram alguma coisa pra ele, e o deixaram na sala, depois de quase uma hora, eu sair da água e meu pai mandou eu ir vê se ele já estava melhor, então assim eu fui fazer, quando cheguei na sala, ele estava deitado no sofá velho da sala, vestindo apenas o short ainda molhado, eu perguntei se ele já estava melhor, e ele falou – se você chupa um pouco eu fico melhor. Mandei ele se lasca, então passei e fui beber água, e ele gritou pra mim leva um pra ele, então levei, ele bebeu o copo dagua e colocou o copo em cima da mesinha de centro, e quando eu fui pega o copo, ele me pegou pelo braço e me puxou pra cima dele, e falou – vai, vitinho chupa só um pouquinho. Falou isso, colocando o pau pra fora pelo lado do short, saindo pelo lado da perna direita, e forçava minha cabeça pra pica dele, e falava – vai cai de boca vitinho. O pau dele era grosso, e na cabeça tinha um babinha, eu tentava resistir, mas deixei pra lá e abrir a boca e abocanhei a pica dele, ainda pelo lado do short, e colocava toda a cabeça dentro e muito mais, e engolia e tirava da boca, babando um pouco na pica dele, e chupava novamente, ele já estava relaxado pra trás, enquanto eu manobrava a pica na boca,  de repente ouvimos passos vindo, eu soltei ele e me sentei direito no sofá, e ele se arrumou e colocou uma almofada em cima da pica dura, era Paulo que vinha entrando e falou com ele, e chamou ele para ir pra fora, eu me levantei e fui deixa o copo d’água, e Paulo foi na cozinha beber água, enquanto isso, Samuel continuou sentado, esperando a pica amolece, e quando isso aconteceu, ele se levantou e voltou para o igarapé, eu já estava lá, e fiquei brincando com os garotos, e no meio dessa brincadeira, que era vôlei, e dei dois passos pra trás e minha bunda bateu na pica do loirinho, e nessa hora eu percebe que estava dura, eu olhei pra ele, e ele fingiu não olhar pra mim, e eu continuei jogando, mas nada mais aconteceu com o loirinho, quando foi depois da jantar, os velhos ficaram jogando baralho no s fundos e eu e os meninos jogando Nintendo, então quando me deu sono, fui para meu quarto e quando cheguei lá, tinha uma rede atada, achei estranho, não sabia de quem era, então a dona da casa apareceu e falou – um dos amigos do teu  irmão vai dormir ai com você, uma das camas estava molhada, então coloquei ele ai. Eu disse - tudo bem. então me deitei, e cai no sono, quando era mais ou menos, meia noite e quinze, acordei com algo sendo esfregado nos meus lábios, quando abrir os olhos, Samuel estava pelado de coca em cima da minha cama, e esfregando a pica já dura na minha boca, eu me mexi e perguntei – o que faz aqui? Ele respondeu – vou dormir aqui, mas não agora. Eu olhei pra ele, e para aquela coisa na minha direção, dura e grossa, olhei para a porta, que estava fechada e então me aproximei, segurei com uma das mãos e coloquei na boca, e ficava tentando engole, então ele colocou a mão na minha nuca e começou a puxa mais minha cabeça pra frente, fazendo eu engole ainda mais, e com isso peguei o ritmo, então ele tirou a mão da minha nuca, e começou a alisar minha bunda por dentro do short, quando ele passou a mão por minha nadega, eu soltei a pica dele e olhei para a mão dele, ele me soltou, e fez eu me levantar e ficar de joelho na cama, de frente pra parede e de costa pra ele, ele baixou meu short, eu ficava com as duas mãos na parede, ele alisou os dois lados da minha bunda, e apertava e deu dois tapas nela, então ouvir ele cuspe na cabeça da pica, e abrir um lado da minha bunda, e coloca a pica na entrada do meu rego, e assim depois que estava lá, colocou as mãos na minha cintura, e começou a empurrar, e cada empurrada, eu me empinava mais, quando estava na metade, ele me puxou pra trás com toda força, eu so sentir uma penetração rápida e o saco dele bate na minha bunda, enquanto eu sentia meu cuzinho totalmente aberto com aquele pedaço de carne quente dentro dele, nessa hora coloquei uma das minhas mãos na cintura dele, pra trás, tentado relaxa um pouco na vara dele, quando encostei a mão nele, sentir o suor descendo por ele, ele fez eu voltar a mão pra parede, e depois começou um entrar e sair, fazendo com que os ovos começasse a fazer um som no quarto, toda vez que batia na polpa da minha bunda, ele tirava e enfiava bem rápido, e quanto mais ele tirava de dentro, mais eu queria que ele enfiasse pra dentro, então ele desacelerou a velocidade, e retirou a pica, e saiu da cama me puxando pra rede, se sentou nela, uma perna de cada lado da rede, e mandou eu sentar em cima, eu me ajeitei de costa pra ele, e comecei a pula em cima, fazendo a entrada da pica ser mais rápido, e ele gemia bem baixinho, e eu pulava cada vez mais, então quando eu estava no ritmo, ele começou a urrar, e eu comecei a ficar devagar, ate que ele gozou dentro de mim, e a pica continuava dentro de mim, eu relaxei por cima dele, e acabamos dormindo os dois, eu de costa pra ele, os dois pelados, quando ambos se mexiam, podíamos sentir a pica dele se esfregar na minha bunda, quando era quase seis e meia da manha, acordei com algo duro tentando entrar na minha bundinha, quando acordei e olhei pra ele, ele sorriu, e eu levantei um pouco a perna, abrindo para a entrada do membro da minha bundinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário